Fleuma


E então ela chorava, como se fosse uma criança que perdera seu melhor brinquedo, aos soluços lamentava por achar que não significava nada para ele, e eu, no meu pleno egoísmo, nem se quer lembrava que ela existia, nem se quer imaginava como ela poderia estar se sentindo naquele momento, eu simplesmente não conseguia resistir a ele, aquele sentimento alastrador crescia dentro de mim, e eu o desejava, queria tê-lo, tê-lo só para mim, para mim somente, porém esqueci-me de notar que ela estava sofrendo, por amá-lo, por querê-lo também, não sabia o que estava fazendo, as sensações de impulso me controlavam, e eu a magoava, e ele se apaixonava, e minha consciência pesava, por ter a simples certeza de que ela chorava por causa dele, por causa de mim, por causa do novo relacionamento que surgira entre mim e aquele doce menino que ela tanto prestigiava, e o que eu poderia fazer? Agora eu estava presa a ele, e ele a mim. Talvez agora ela me odeie, por ele estar comigo, e eu com ele, e talvez ela até tente fingir que tudo vai bem, mas eu sei que não está, eu sei que não vai ficar, e ela vai continuar a chorar, porque além do mais, era ele o grande amor da vida dela...


Escrito por: Maylane 

0 comentários:

PESQUISA

Carregando...

Seguidores

Vale a pena o Click!

Tecnologia do Blogger.